Publicidade

Escola de Arte Bauhaus e Universidade Bauhaus-Weimar
Estudo & Carreira

Escola de Arte Bauhaus e Universidade Bauhaus-Weimar

Luiza Luiza Maciel
3 de dezembro de 2020

Imagem: ©Bauhaus-Universität Weimar, photographer

Quem já teve a oportunidade de assistir à algumas lições de história da arte, certamente já ouviu falar sobre a Bauhaus, que entre 1919 e 1933, aplicou ideias revolucionárias aos campos da arte, design, arquitetura e planejamento urbano. O chamado estilo Bauhaus marcou a arquitetura do século 20. Atualmente, mais de 100 anos depois, a Bauhaus ainda vive e há uma universidade funcionando em seu prédio original. Leia neste post tudo sobre a história da Bauhaus, seus princípios e influências.

O que foi a Escola de Arte Bauhaus?

A Bauhaus foi uma escola de arte fundada na Alemanha em 1919 pelo arquiteto Walter Gropius, alguns anos após este ter assumido a direção da Escola de Artes Aplicadas de Weimar. Por este motivo, diz-se que a Bauhaus nasceu na cidade de Weimar, em um edifício projetado pelo arquiteto Henry van de Velde.

Em 1925, após sofrer certa pressão pelo governo conservador de Weimar, a Escola de Arte Bauhaus mudou-se para a cidade de Dessau, onde Groupius projetou um icônico edifício modernista para sediar a escola.

Um pouco mais tarde, em 1933, a Bauhaus foi fechada pelos nazistas, que não concordavam com os ideais e princípios da escola, porque a viam como uma frente comunista.

Posteriormente, os dois edifícios da Escola de Arte Bauhaus, em Weimar e em Dessau, receberam o título de Patrimônio Mundial da UNESCO. Atualmente, ambas as cidades oferecem museus que trazem informações sobre a Bauhaus, além de visitas guiadas aos edifícios de Van de Velde, em Weimar, e Gropius, na Bauhaus Dessau. Além disso, em Berlim há o Bauhaus Achieve, outro museu que abriga obras relacionadas à Escola de Arte Bauhaus. Saiba mais sobre as cidades da Alemanha.

Quem foi o fundador da escola de arte Bauhaus?

O arquiteto Walter Gropius, fundador da Bauhaus, foi um dos arquitetos mais influentes do século XX. Ele nasceu em Berlim, estudou em Munique e dirigiu a Bauhaus até 1928. Posteriormente, foi sucedido pelos arquitetos Hannes Meyer e Ludwig Mies van der Rohe – nomes também muito importantes para a arquitetura.

Com o início do período nazista, Gropius se viu obrigado a se mudar da Alemanha. Foi então que o arquiteto passou a viver nos Estados Unidos e começou a lecionar na Universidade de Harvard e a se dedicar às obras de arranha-céus.

Entre os principais projetos de Gropius estão a sede da Escola de Arte Bauhaus em Dessau e o Pavilhão da Pensilvânia, construído para a exposição universal de Nova Iorque. 

Qual era a proposta da Escola Bauhaus?

A Bauhaus fundada por Gropius era uma escola que visava promover a integração entre as artes aplicadas e as belas artes. Até então, ambas eram consideradas artes distintas e até mesmo opostas, embora alguns movimentos anteriores – Art Noveau e Arts & Crafts – tenham buscado o mesmo objetivo, mas falhado.

O nome Bauhaus significa “casa de construir” e remete a proposta de seu fundador. Os alunos adquiriam conhecimentos sobre materiais modernos e refletiam sobre a produção e o design considerando o período de industrialização que se vivia no período. A escola oferecia ensinos em arquitetura, arte, design, artesanato, e até mesmo teatro. O paralelismo entre o ensino teórico e prático era um dos diferenciais da escola entre as demais instituições de ensino da época. Além disso, os alunos não tinham lições de história da arte antes do terceiro ou quarto ano, uma vez que se acreditava que tudo deveria ser criado sem influências do passado.

Qual o principal objetivo da Escola de Arte Bauhaus?

escola-de-arte-bauhaus-e-universidade-bauhaus-weimar
©Bauhaus-Universität Weimar, photographer

O objetivo principal da Bauhaus é criar projetos e formas que sigam a função necessária e que integrem arte e técnica. A industrialização era incorporada na arte e na arquitetura, seja por meio da produção industrial, seja pelo uso de materiais como aço, vidro e madeira. Assim, a Bauhaus cria um estilo próprio, influenciando artistas, designers e arquitetos mundialmente.

Quais as principais características da Bauhaus?

As principais características da Escola de Arte Bauhaus são a experimentação, a liberdade, a criatividade e a industrialização.

Os projetos arquitetônicos elaborados na Bauhaus se caracterizam por fachada livre, linhas retas, grandes janelas em fita, e planta livre. São, majoritariamente, edificações brancas e com coberturas planas.

Na arte e no design, a Bauhaus se caracteriza por formas geométricas simples e o uso das cores primárias: azul, vermelho e amarelo.

Influência da arquitetura Bauhaus no Brasil

Apesar de sua curta existência, de apenas 14 anos, a Escola de Arte Bauhaus influenciou gerações em todo o mundo e, em especial, no ocidente europeu, nos Estados Unidos, Israel e Brasil.

O principal representante dos princípios da Bauhaus no Brasil é o arquiteto Oscar Niemeyer, que seguia as tendências modernas e funcionalistas da escola. As edificações que compõe o plano piloto de Brasília são bons exemplos da arquitetura inspirada pela Escola de Arte Bauhaus.

A Universidade Bauhaus hoje

escola-de-arte-bauhaus-e-universidade-bauhaus-weimar
©Bauhaus-Universität Weimar, photographer

A Universidade Bauhaus-Weimar conta hoje com quatro faculdades (Arquitetura e Urbanismo, Arte e Design, Engenharia Civil e Mídia), as quais oferecem um total de cerca de 40 cursos distintos de graduação e pós-graduação.

Aproximadamente 4.000 estudantes estão matriculados na universidade, que é uma das mais internacionais da Alemanha.

Hoje, a universidade não traz mais os mesmos princípios que nortearam a Bauhaus fundada por Gropius. Ela traz o espírito de experimentação daquela época, mas que também faz críticas contemporâneas à determinadas características do modernismo. Não são desenvolvidos objetos para indústria, mas são investigados os significados da tecnologia para a sociedade.

Além do prédio principal, projetado por Henry van de Velde, a universidade hoje se distribui em diferentes edifícios na cidade de Weimar, oferecendo uma infraestrutura de laboratórios, oficinas, auditórios, salas de aula e bibliotecas.

Pela vasta história por trás do nome que a Universidade Bauhaus carrega, muitos estudantes internacionais são atraídos anualmente. Eles contam com suporte durante todo o período de estudo, além de um programa com muitas atividades extracurriculares organizadas pelos próprios estudantes.

Em 2019, foi celebrado pela Universidade Bauhaus-Weimar o centenário da Bauhaus. Além de seminários específicos destinados a discutir a sua história e suas influências, foram realizados eventos que movimentaram toda a cidade de Weimar e atraíram muitos turistas. Além disso, o Bauhaus-Museum Weimar foi inaugurado na cidade.

Como é estudar na Universidade Bauhaus-Weimar?

Estudar na Universidade Bauhaus é um privilégio enorme. Há um sentimento de felicidade por poder circular diariamente pelos corredores e escadas em que, há cerca de 100 atrás, grandes nomes da arquitetura e do design circularam. É também incrível estudar nas mesmas salas em que eles criaram objetos e projetos tão icônicos.

Eu adorei estudar na Universidade Bauhaus e poder ter a oportunidade de conhecer mais sobre a sua história no período em que morei em Weimar. Além disso, morar na Alemanha traz também as vantagens de poder usufruir da excelente qualidade de vida que o país oferece. Weimar é uma cidade linda e que tem muita história e cultura. Foi lá também que o escritor Goethe viveu.

Você já sabia que existe uma universidade em pleno funcionamento no edifício da Bauhaus? Gostou do artigo? Espero que ele tenha contribuído para que possa conhecer mais sobre a influente Escola de Arte Bauhaus.

Caso pretenda se mudar para a Alemanha e conhecer a Bauhaus, ou até mesmo estudar nela, não deixa de se preparar lendo sobre os vistos para a Alemanha.

Por Luiza Maciel, do Euro Dicas.

Como instalar internet, telefone e TV na Alemanha
Guia de ceia de natal brasileira em Berlim
Luiza Maciel
Luiza Maciel
Autor
Luiza Maciel se encantou com a Alemanha em 2016, quando teve a oportunidade de viver no país pela primeira vez. Sempre recomenda as cervejas alemãs, as feiras de natal, e a Thuringer Bratwurst. Urbanista, é apaixonada por cidades e por mobilidade urbana. Desde 2018, vive na pequena notável Weimar, onde cursa o Mestrado em Estudos Urbanos Europeus na Universidade Bauhaus.

Comentários