Meus favoritos ( 0 )

Publicidade

O uso da mídia na educação infantil alemã
Pais & Filhos

O uso da mídia na educação infantil alemã

Larissa Larissa da Costa
20 de junho de 2017
0

Um dias desses, em que o tempo não estava muito bom, convidei uma mãe da escolinha dos meus filhos para nos acompanhar na matinê, filme de criança, atividade própria para dias chuvosos. Fui surpreendida com a sua resposta: „Desculpe, mas não vai dar, meus filhos nunca assistiram um filme inteiro, nem mesmo televisão eles assistem, somente alguns programas curtos“. Devo confessar que fiquei chocada com a resposta, pois a familia, aparentemente, não é daquelas „bicho grilo“, e as crianças tem 6 e 4 anos, idade em que eles já conseguem acompanhar o enredo de um filme infantil.

Essa atitude é bem comum em famílias alemãs. O uso da tecnologia para distrair os pequenos é considerado altamente prejudicial para o desenvolvimento da criança, e muitos alemães o seguem ao pé da letra.

Eu concordo em parte com a filosofia. Considero o uso de jogos virtuais e uso excessivo de mídias digitais desnecessário. Crianças até a idade escolar deveriam dedicar-se a desenvolver a coordenação motora, fazer muita atividade física, correr, pular, brincar e desenvolver a criatividade. Entretanto, não abomino de todo o uso da televisão, desde que seja adequado. A televisão é uma ótima „babysitter“ eletrônica para aquelas horas em que as mães precisam resolver alguma coisa e as crianças não dão sossego, ou mesmo as próprias crianças precisam de uma pausa de suas atividades cotidianas.

Não acredito que, assistir filmes ou programas infantis próprios para a idade, comprometam o desenvolvimento da criança. Extremismos de qualquer natureza não são bons. O grande desafio da educação é sempre achar (e manter) o equilíbrio.

Os 5 melhores Shopping Malls de Berlim
Berlim: A capital gay da Alemanha
Larissa da Costa
Larissa da Costa
Autor
Vim para a Alemanha em 2002 aventurar-me em terras desconhecidas e a maior delas tornou-se a maternidade, quando, em 2010 virei mãe de um menino e em 2013 de uma menina. Mantenho um blog próprio chamado brasanha.de aonde narro minhas experiências aqui na Alemanha.

Comentários

Cadastro