Meus favoritos ( 0 )

Me descobri grávida na Alemanha. E agora?

Mariana Mariana Eberhard / Vídeo de: Vivian Oliveira
19 de novembro de 2016
0

Esses dias, saindo de uma de minhas consultas de pré-natal, percebi uma moça na fila de espera lendo um livro sobre gravidez. Ela não tinha barriga aparente mas, antes de sair, a vi falando com a secretária que na próxima consulta faria seu Mutterpass. Os olhos negros da moça brilharam como se soubesse que dali a algumas semanas ganharia seu atestado de grávida. E é mais ou menos isso.

Ao fazer o teste de farmácia e se deparar com duas listrinhas indicando o positivo, muitas brasileiras surtam um pouco. Não só por pensar que logo terão um bebezinho para cuidar, mas também por não terem a mínima ideia de como funcionam as consultas pré-natais e as opções de parto na Alemanha. Pois bem, já adianto que tudo parece mais complicado em alemão, mas é simples, e logo essas mulheres perdidas agradecerão a possibilidade de dar à luz em um país com uma estrutura tão incrível para partos.

Por onde comecar

O primeiro passo a ser dado ao se descobrir grávida na Alemanha é encontrar um ginecologista (Frauenarzt). A língua pode ser uma barreira, mas há nas grandes cidades muitos ginecologistas que falam português e mais ainda que falam inglês. Caso você saiba a data da sua última menstruação, que é onde começam a ser contadas as semanas da gravidez, a secretária pode marcar sua consulta direto na oitava semana.

Isso porque, caso você queira manter a gravidez (falaremos sobre a outra possibilidade em outro post), o ideal é que o primeira ultrassom seja feito na oitava semana, assim já será possível ver os batimentos cardíacos do feto. Caso a consulta seja marcada para alguma semana anterior à oitava, é provável que a futura mamãe logo tenha que voltar ao médico para uma nova consulta. De qualquer forma, assim que confirmada a gravidez, seja por exame de sangue ou exame de urina feito no próprio consultório, a mulher passará por uma bateria de exames.

Logo na primeira consulta, espere um questionário completo feito pelo médico, seguido por diversas dicas do que comer, o que fazer em caso de enjôo e a recomendação de tomar ácido fólico ou alguma vitamina pre-natal que contenha essa vitamina. Entre os exames está a primeira pesagem da mulher, aferimento da pressão arterial, exame de urina, e bastante sangue será retirado para testes de tipagem sanguínea, HIV, rubéola, anticorpos, sífilis e outros.

O passaporte de mãe

Todos esses dados serão introduzidos no Mutterpass da mulher, o passaporte de mãe. Essa caderneta mágica contém absolutamente tudo que qualquer médico precisa saber sobre o andamento da gravidez. O resultado de todos estes exames, qualquer necessidade especial que a mãe tenha, histórico de saúde (diabetes, pressão alta), se já possui filhos etc. O caderninho, no entanto, só é feito a partir da oitava semana de gestação, após o resultado de todos os exames. Portanto, caso a consulta tenha sido feita antes desse período, é provável que a mãe ainda tenha que esperar um pouco pelo seu passaporte.

Este é o documento mais importante durante a gestação e jamais deve ser perdido ou esquecido em casa durante as consultas. Ele é muitas vezes usado para comprovar a gravidez perante as entidades burocráticas (os Amt) da Alemanha, além de conter todo o histórico das consultas e exames até receber as primeiras informações sobre o bebê após o parto. O Mutterpass permite que todas as dados estejam em fácil acesso em caso de emergência e é incrivelmente preciso e em sua organização, facilitando a vida de todos os envolvidos com os cuidados a esse novo serzinho.

Muitos médicos recomendam que a mulher esteja sempre com o Mutterpass na bolsa, como se fosse o passaporte ou um documento de identificação. Isso porque em casos de gravidez de risco ou emergências, os médicos já saberão a semana da gestação, o tipo sanguíneo e tudo mais. Caso você seja um pouco atrapalhada como eu e tenha a tendência de perder as coisas pelo caminho, melhor se precaver a tê-lo em mãos apenas em dias de consulta. Como não é só o médico que possui os resultados de exames, mas também a Hebamme (a parteira, da qual falaremos com mais calma em outro post), seria complicado juntar tudo de novo. Sem contar os olhares de reprovação que você receberá dos alemães ao seu redor.

Os 10 Vilarejos Mais Charmosos da Alemanha
A toda-poderosa Hebamme, a parteira alemã
Mariana Eberhard
Mariana Eberhard
Autor
Mariana Eberhard vive em Berlim, onde conclui um Ph.D. em sociologia do turismo. É jornalista e socióloga por formação, e atualmente é escritora e tradutora freelancer – traduzindo do Inglês, Espanhol e Alemão para o Português. Em seu tempo livre ela gosta de ler, perder tempo vasculhando a Netflix e descobrir os segredos da cidade onde mora.

Comentários

Cadastro