Meus favoritos ( 0 )

Publicidade

Brutalismo em Munique: uma pedalada arquitetônica

Celso Celso Fernandes / Vídeo de: Celso Fernandes
6 de junho de 2020
526
0

Munique é conhecida mundialmente por suas ruas arborizadas, belos parques, praças históricas e edifícios de fachadas pitorescas. Em meio a toda esta beleza delicada estão, no entanto,  gigantes de um passado não tão delicado assim. Nesta matéria, nós traçamos uma rota de bike que corta os principais edifícios brutalistas da cidade. 

O que é arquitetura brutalista?

O brutalismo foi um movimento arquitetônico desenvolvido em meados da década de 50 e floresceu durante as duas décadas seguintes. O estilo nasceu na Europa ocidental, mas logo se espalhou para outras partes do mundo como: Leste europeu, União Soviética, EUA e Brasil. Segundo o autor inglês Reyner Banham, o objetivo do Brutalismo é causar um impacto nas pessoas, através da:

  • Memorabilidade da imagem
  • Nítida exibição da estrutura
  • Valorização do material

Ao contrário do que muitos acreditam, o termo “brutalismo” não vem de “brutal” e sim do termo francês “béton brut” (concreto bruto).

Em Munique, a construção brutalista ocorreu entre 1960 e 1980.  Já na década de 80, o estilo passou a ser percebido como feio e indesejado e na década de 90 vários edifícios passaram a ser demolidos. Hoje, algumas das construções sobreviventes são listadas como monumentos históricos. É inegável: os gigantes de concreto têm uma estética especial - independentemente de você gostar ou não.

Sobre a rota do brutalismo

Vamos levá-los em um passeio de bicicleta e mostrar alguns dos edifícios brutalistas mais impressionantes de Munique. O passeio percorre cerca de 24 km, o equivalente a um tempo de viagem de 1,5 horas. Recomendamos, no entanto, que você  reserve a metade de um dia para ter tempo de observar, absorver e deixar-se impressionar. 

A rota pode ser visualizada e seguida no Google Maps. Nós tomamos a liberdade de escrever uma pequena passagem sobre cada parada, porém o ideal é que você permita que cada edifício fale por si mesmo.

Parada 1: Igreja St. Mauritius em Moosach

St. Mauritius em Moosach

Começamos na Templestrasse 5 em Moosach. Aqui está o centro da igreja da paróquia de St. Mauritius, que foi construída em 1966. Visitar o interior do salão principal, que é apoiado por apenas quatro pilares, vale a pena. A luz do dia cai pelas janelas da cúpula através de nove painéis no teto acima da área do altar. Os arquitetos Herbert Groethuysen, Detlef Schreiber e Gernot Sachsse descrevem o edifício como "conciso e transparente, com o brilho da nobre simplicidade". - se você se acostumar às formas cinzas, frias e angulares do edifício, pode até ser que esta afirmação seja verdadeira.

Endereço: Templestraße 5, Munich


Parada 2: Olympisches Dorf

Olympia Dorf ,Munich

A Vila Olímpica foi um experimento urbano construído para os Jogos Olímpicos de 1972. Não é à toa que leva o nome de “Dorf” (vila), pois foi projetada para funcionar como uma “cidade dentro de uma cidade”. Existem também escolas, jardins de infância, lojas e igrejas no local. Além de seus próprios terraços no espaço privativo, as áreas de recreação infantil ainda atraem muitas famílias até o complexo. 

A vila também foi projetada para ser livre de carros e conectada à sua própria estação de metrô. No total, são 3.500 unidades residenciais e 6.000 residentes. A vila é considerada um dos bairros mais desejados de Munique e cerca de 90% das mudanças de lar registradas na cidade ocorrem dentro dele. O complexo é considerado patrimônio histórico e protegido pela prefeitura da cidade.

Os residentes - proprietários e inquilinos - que vivem na Vila Olímpica fundaram uma sociedade cívica chamada de  Olywelt eG. Ela é responsável por garantir que o bairro continue atraente em termos de oferta e aparência, garantindo assim a qualidade de vida e a valorização dos imóveis.

Vale a pena uma visita aos bangalôs à beira do Parque Olímpico, que acomodaram os atletas na época e hoje abrigam centenas de estudantes universitários.

Endereço: Connollystraße 3, 80809 München


Parada 3: Fuchsbau em Schwabing-Freimann

Fuchsbau em Schwabing-Freimann

Na Ungererstrasse 19, você encontrará o Fuchsbau, construído em 1972 sob supervisão do arquiteto Wilhelm Steinel. É um edifício residencial e comercial. Os 239 apartamentos têm 15 plantas diferentes que variam de 24 a 125 metros quadrados. Quase todos os apartamentos têm uma área externa privativa, graças aos braços do edifício e à estrutura de terraço escalonada. Até logotipos personalizados foram projetados para facilitar a orientação no edifício. A forma compactada de viver com áreas comuns generosas e muito espaço para lazer ​​corresponde ao anseio por urbanidade, individualidade e diversidade social que marcaram a década de 1960. Aliás, este desejo retornou hoje em dia. Até a década de 90, o edifício chegou a ter um cinema, uma piscina na cobertura e até um teatro.

Endereço: Ungererstraße 19, 80802 München


Parada 4: Edifício “Orpheus und Euridike” em Schwabing

Orpheus und Euridike

Na Ungererstrasse 65 em Schwabing, você encontrará o complexo residencial "Orpheus und Eurydike" com seu próprio posto de gasolina e um restaurante. Estes edifícios pré-fabricados com 13 e 9 andares foram construídos entre 1971 e 1973 e consistem em dois complexos com um total de 148 apartamentos - daí o nome. Na saga grega, os amantes Orfeu e Eurídice foram condenados a ficar separados para sempre. O complexo, que virou patrimônio da cidade em 2018, foi projetado pelos arquitetos Jürgen Freiherr von Gagern, Peter Ludwig e Udo von der Mühlen, que também projetaram a Amalien Passage em Maxvorstadt. Uma característica especial do complexo é o esquema de cores, idealizado pela esposa do arquiteto Jürgen Freiherr von Gagern. Certa vez, ele disse em uma entrevista: “Minha esposa criou o conceito de cores. Nós adaptamos as cores ao posto de gasolina que já existia antes e possuía direito à propriedade”.

Endereço: Ungererstraße 65, 80805 München


Parada 5: Edifício Pharaohaus em Oberföhring

Pharaohaus em Oberföhring

O Pharaohaus (casa do faraó), localizado em Oberföhring, é um dos exemplos mais famosos do brutalismo em Munique e o irmão mais velho do Fuchsbau. O edifício residencial com terraço em forma de pirâmide foi construído em 1974 pelo arquiteto Helmut Bayer e é popularmente conhecido como "máquina viva". O edifício tem 18 andares e abriga  400 apartamentos. Lojas e restaurantes também pertencem ao conjunto. Como na Vila Olímpica, todos os apartamentos possuem terraços ou varandas. Vale a pena dar uma olhada na área de entrada, onde o "lema egípcio" é retomado. A reputação do edifício não é das melhores, devido ao fato de que a prostituição e venda de drogas era comum na década de 90.

Endereço: Fritz-Meyer-Weg 55, 81925 München


Parada 6: Hügelhaus em Bogenhausen

Hügelhaus em Bogenhausen

Continuamos nosso passeio na Titurelstraße 5 para observarmos mais de perto o Hügelhaus em Bogenhausen. A Hügelhaus (casa da colina) é obra de Walter Ebert e foi construída entre 1968 e 1970 para hospedar cientistas e palestrantes convidados nas universidades de Munique. A “Fundação Volkswagenwerk de Ciência e Pesquisa, Hannover” encomendou o edifício na época. Cada um dos 59 apartamentos possui uma varanda espaçosa, graças à construção escalonada em forma de pirâmide.

Endereço: Titurelstraße 5, 81925 München


Parada 7: Sternhaus e Arabella Haus no Arabellapark

Sternhaus e Arabella Haus

Quem ainda quiser dar uma olhada neste edifício com uma planta em forma de cruz e 23 andares deve fazê-lo nos próximos anos, porque será demolido em 2026. A planta não pode ser reformada facilmente  e o edifício claramente não tem fãns o suficientes para ser considerado um patrimônio da cidade. Grande parte do edifício foi convertido em hotel no decorrer dos Jogos Olímpicos de 1972, o Sheraton Munich Arabellapark Hotel, considerado o maior hotel de conferências do sul da Alemanha.

No porão do prédio, havia também um estúdio de gravação no qual os Rolling Stones, Led Zeppelin, Queen, Freddie Mercury, Electric Light Orchestra e Deep Purple gravaram álbuns. Há rumores de que ocasionalmente festas lendárias são celebradas aqui.

Endereço: Arabellastraße 5, 81925 München


Parada 8 : Gasteig

brutalismo-em-munique-uma-pedalada-arquitetonica

Encerramos nossa pedalada no Gasteig, que foi inaugurado em 1984 e é o maior centro cultural da Europa. Não muito apreciado pelos moradores de Munique,  o Gasteig parece mais "light" devido ao uso de tijolos e já pode ser atribuído à arquitetura da pós-modernidade. Mas se você der uma olhada no prédio, rapidamente descobrirá que muito concreto foi instalado aqui e podem ser encontrados paralelos aos edifícios que você viu até agora: áreas comuns, áreas externas espaçosas e muitos ângulos visuais com arestas vivas. 

O prédio, localizado nas margens do Isar, abriga várias grandes salas de concerto, a Biblioteca da Cidade de Munique, a Universidade de Música e Drama e o Centro de Educação de Adultos, além de muitas instituições socialmente relevantes da cidade. É também um dos poucos locais da cidade em Munique, onde você pode se aquecer sem ter que consumir nada. 

Endereço: Rosenheimer Str. 5, 81667 München

Como separar o seu lixo na Alemanha
Da para confiar na Ottonova?
Celso Fernandes
Celso Fernandes
Autor
Engenheiro, empreendedor e programador de fim de semana.  Natural de Petrópolis, RJ. Trinta e poucos anos de idade e há dez anos vivendo na Alemanha. Escreveu o primeiro post no Batatolandia em 2008 e desde então não parou mais.

Comentários

Cadastro