Meus favoritos ( 0 )
Alguns trabalhos que eu já fiz na Alemanha
Estudo & Carreira

Alguns trabalhos que eu já fiz na Alemanha

Celso Celso Fernandes
21 de junho de 2012
0

Há um tempo atrás eu escrevi um post sobre trabalho voltado principalmente para os estudantes. Em algum ponto do post eu disse que faria um segundo post falando um pouco sobre os trabalhos que eu já havia feito aqui na Alemanha durante a minha época de estudo. Na verdade eu deveria tomar vergonha na cara e terminar logo o meu Guia de Estudar na Alemanha que faltam apenas três assuntos a serem abordados, porém ando um pouco de saco cheio de "wikar" e decidi "blogar" pra variar um pouco.

Relembrar o passado é sempre bom, principalmente quando vive-se melhor no presente.  O meu passado aqui na Alemanha tem muitas estórias e foi marcado por muito perrengue desde o primeiro dia aqui. Eu vim pra cá para ficar apenas 3 meses em julho de 2007 e acabei ficando até hoje. Para passar os 3 meses aqui fazendo um curso de alemão, eu vendi o meu carro no Brasil e peguei uma grana com meus pais. Eu lembro que durante estes 3 meses, eu segurava o máximo! Não viajava e gastava o mínimo possível no mercado. Acho que na época com 15 EUR eu fazia compra para uns 10 dias e me alimentava muito bem. Até hoje tento lembrar como conseguia fazer isso!

Depois de 4 meses na Alemanha, veio o convite para ficar mais tempo no país e possivelmente estudar aqui.  Infelizmente a minha grana já havia secado e eu precisei pegar mais um dinheiro com meus pais. Finalmente após 8 meses de Alemanha eu consegui trocar o visto de curso de idiomas por um visto de estudante, ganhando assim a possibilidade de estudar e a permissão para trabalhar legalmente na Alemanha.

Eu trabalho desde o primeiro dia de permissão e praticamente financiei os meus estudos aqui sozinho, pois não tinha bolsa, mas tinha muita vontade de ficar. Eu nunca fiz nenhum tipo de trabalho ilegal (Schwarzarbeit) e também não recomendo que você o faça, pois as consequências podem culminar com a sua expulsão da União Européia e extradição de volta para o seu país de origem. No futuro pra você conseguir voltar será uma merda, pra não dizer impossível. Então faça um favor pra você mesmo(a) e siga as regras!

Meu primeiro trabalho aqui foi como HiWi (Hilfswissenschaftler) num departamento da universidade. Apesar de não trabalhar neste ramo hoje, eu tenho bastante conhecimento na área de computação e programação para web, servidores Linux, etc e eles estavam precisando de um estudante que cuidasse do servidor do departamento inteiro. Eu acabei ficando lá entre abril de 2008 e agosto de 2010. Este emprego foi realmente a razão inteira de como eu consegui me manter aqui tanto tempo. A maioria dos serviços de manutenção no servidor precisavam ser feitos a noite e eu tinha permissão para fazer diretamente do meu PC em casa. Então durante o dia eu ía pra a facul e trabalhava a noite quando chegava em casa. Além do mais, as horas trabalhadas dentro da universidade não contavam para o limite das horas previstas na permissão de trabalho. Este emprego como HiWi culminou com a minha ida para Shanghai passar uma temporada de 6 meses trabalhando numa empresa chinesa.

Durante este tempo entre 2008 e 2011, eu precisei fazer pequenos trabalhos paralelamente ao trampo da universidade para complementar a minha renda. No inverno de 2009/2010 eu trabalhei como empacotador de livros e maquinista numa editora em Braunschweig. Era um trabalho bem repetitivo e um pouco pesado, porém não exigia pensar. Então eu ía pra lá e as vezes virava a noite alimentando as máquinas de impressão com papel e pensava na vida e revisava meus planos. Eu acho que fiz isso durante uns 2 meses com turnos de 8 horas variados...as vezes a noite, as vezes de manhã, as vezes de dia.

Também trabalhei 3 meses numa churrascaria rodízio brasileiro, cortando carne na mesa dos clientes. Era outro trabalho "no brainer" que após 4 horas de trabalho me dava uns 30 EUR, mas não era nem de longe o meu tipo de trabalho.

Finalmente eu voltei para os computadores e trabalhei para um turco durante uns 8 meses programando aplicativos para a web. Acho que estes 8 meses foram os mais estressantes nos 5 anos aqui. Como todo bom turco ele sabia a hora de cobrar, mas era péssimo na hora de pagar. O cara nunca tinha o dinheiro ou dizia que tinha esquecido de passar no banco, bla bla bla. As coisas ficaram mais complicadas, quando o aplicativo que eu fiz para ele começou a sustentar a empresa inteira! O cara me ligava fins de semana, me pedia pra trabalhar longas horas, enfim...

Trabalhei como Freelancer na web. Não quero isso para mim nunca mais! Eu até ganhava bem, mas tinha que desistir de dormir e estudar. Todo projeto na web é sempre pra ontem e geralmente são idealizados por pessoas que não tem a mínima competência de programação. O resultado é desorganização e desespero que sempre acabam desaguando no programador.

Como vocês podem ver, eu já fiz de tudo um pouco por aqui. Também rolaram pequenos trampos de ajudar a fazer mudança ou pintar parede, mas estes foram coisa de um dia ou poucas horas. Os trabalhos mais braçais no fim eram mais compatíveis com a faculdade, pois eles tinham data e hora pra começar e acabar. E uma vez terminados, eu ia pra casa quebrado porém tranquilo e não pensava mais naquilo podendo me concentrar somente nos estudos. Os trabalhos mais intelectuais frequentemente me seguiam pra casa e muitas vezes na hora de dormir eu me pegava pensando em como resolver o próximo problema que certamente já me aguardava no escritório.

Bom agora que eu já contei um pouco sobre os trabalhos que já fiz aqui na Alemanha, talvez no próximo post eu irei contar um pouco dos perrengues que já passei por aqui.

Entrevista de emprego na Alemanha e agora??
A Alemanha, o parque, a praia, os patos...
Celso Fernandes
Celso Fernandes
Autor
Engenheiro, empreendedor e programador de fim de semana.  Natural de Petrópolis, RJ. Trinta e poucos anos de idade e há dez anos vivendo na Alemanha. Escreveu o primeiro post no Batatolandia em 2008 e desde então não parou mais.

Comentários

Cadastro