Publicidade

Como fazer uma viagem da Alemanha para o Brasil em tempos de Covid
Destinos

Como fazer uma viagem da Alemanha para o Brasil em tempos de Covid

Clarissa Clarissa Gaiarsa
15 de agosto de 2021

Imagem: Spencer Imbrok

O dia em que escrevo esse texto é meu último dia de quarentena após a volta do Brasil, foram 14 dias trancada em casa resistindo às tentações do verão berlinense. E até que ponto esse sacrifício vale a pena? Pessoalmente, valeu bastante para mim. Depois de um ano e meio sem ver meus pais e mais de dois anos sem ver o resto da família (tenho família em Salvador e São Paulo), valeu muito todos os desafios de planejar uma viagem no momento ao Brasil.

Se você está aí na indecisão e considerando todos os riscos, posso dizer que no geral a experiência foi mais tranquila do que pensava, apenas mais custosa e em alguns momentos estressante. A minha viagem foi de Berlim para São Paulo com a TAP, fazendo conexão em Lisboa. Saindo da Alemanha, e a depender da cidade de partida, há outras opções de voo, até diretos (com a Lufthansa saindo de Frankfurt, por exemplo).

Primeira etapa – Compra da passagem e confirmação

O primeiro estresse da viagem é saber se o voo acontecerá e não haverá cancelamentos. No geral, parece que os voos estão acontecendo regularmente e com a TAP não foi diferente. Tive um pequeno problema apenas ao reservar a passagem pois não recebi a confirmação por e-mail. Por conta disso, achei que poderia haver algum problema com o voo, mas entrei em contato com o atendimento ao cliente e foi resolvido. Detalhe importante, especialmente se você estiver viajando com a companhia portuguesa, o atendimento está bem ruim e cheguei a passar 1 hora no telefone esperando. A dica aqui é mandar mensagem pela conta da TAP no Twitter e fazer um post público marcando a conta deles. Assim, consegui retorno rapidinho.

Problema resolvido com a passagem, comecei a pesquisar o que teria que fazer para sair da Alemanha e entrar no Brasil sem problemas. Aqui há diversas variantes possíveis. No meu caso, as coisas foram relativamente fáceis com cidadania italiana, mas se você não tem cidadania europeia, mas um visto de residência e um registro de endereço aqui, acredito ser tão tranquilo quanto. O que complica mesmo é não ter um visto e\ou um comprovante de endereço (nesses casos, reveja se é o momento para viajar ao Brasil, e reveja sua situação também, se estiver ilegal no país).

Outro ponto importante e que eliminaria a próxima etapa dessa maratona da sua lista é ter tomado as duas doses da vacina de Covid. Eu fui atrás da primeira dose em Berlim antes de viajar. Sabia que não daria tempo de tomar as duas pois queria viajar em junho e, apenas em meados de maio, foi possível agendar sem ter nenhum tipo de prioridade. Mesmo sem ter tomado as duas doses, me senti um pouco mais segura para enfrentar aeroportos e os voos, e também no Brasil para encontrar família e amigos.

Leia também: CovPass: o certificado de vacinação digital da UE

Teste PCR na Alemanha – Busca da melhor opção

A próxima etapa dessa gincana foi procurar saber o que precisava para sair da Alemanha e fazer um voo internacional e para a entrada no Brasil. O mais básico de quase toda viagem internacional (considerando aqui internacional como fora da Europa) é ter em mãos o teste PCR negativo. E com o Brasil não é diferente, eles vão pedir o teste tanto no embarque quanto ao chegar no país e passar pela imigração. Para voos com conexão como o meu, podem pedir também no local da conexão, como aconteceu em Lisboa. Antes do embarque no voo para São Paulo, eles conferiram os testes de todos, não apenas passaporte e passagem.

E aqui a gente tem que saber calcular bem para não dar erro. O teste precisa ter no máximo 72 horas ao desembarcar no Brasil, então veja direito quando vai fazer e em quanto tempo terá o resultado. Há uma variedade de centros de testes em Berlim, e provavelmente na Alemanha, que oferecem diferentes prazos de entrega e preços. A minha opção foi buscar um centro que é parte de um laboratório reconhecido, pois li que alguns centros de testes abertos apenas para aproveitar essa fase da pandemia, não dão resultados no tempo em que prometem ou às vezes até os falsificam. Preferi ir no mais confiável.

Além disso, o laboratório Centogene que escolhi tem também uma lojinha no aeroporto, onde o teste pode ser feito com resultados mais imediatos ou em até 24 horas. O preço foi um pouco mais salgado, 69 euros com uma taxa de pagamento online, mas valeu para me livrar de qualquer estresse de última hora (para resultado mais rápido no aeroporto, de até 60 minutos, o valor é de 169 euros). Agendei e pague o teste online e fui coletar na sexta para a viagem programada no sábado e chegada no Brasil domingo. Em menos de 24 horas, que era o prazo máximo, eles mandaram o link do resultado por e-mail com todos os detalhes.

Teste PCR no Brasil – Cuidados necessários

Já no momento do retorno do Brasil para Alemanha foi um pouco mais complicado achar um local. No aeroporto de Guarulhos, é possível fazer o teste e ter o resultado em 4 horas, mas queria evitar ter que ir horas do voo e ficar aguardando por lá. Após muita busca e atendimentos online e por telefone, quase todos os laboratórios tinham um prazo mais longo de entrega, o que dificultava para dar as 72 horas, ou envolviam outros obstáculos (muito distantes ou não enviavam o resultado em inglês, por exemplo).

O governo alemão não aceita resultados de testes PCR em português, apenas em inglês, alemão, espanhol, italiano ou francês. Quando já estava quase decidida a ir ao aeroporto fazer o teste, nesse caso eu iria no dia anterior, faria o teste e teria o resultado para viajar no dia seguinte, descobri que um dos laboratórios disponíveis em Guarulhos tem também uma tenda montada no shopping Plaza Mooca, no bairro da Mooca em São Paulo.

Não é tão perto de onde eu estava, mas com certeza uma distância menor do que ir ao aeroporto de Guarulhos dois dias seguidos. E, assim, segui o mesmo esquema de Berlim, fiz o teste na sexta para viajar no sábado e desembarcar no domingo. Não foi necessário agendamento e fiz tudo no local, inclusive pagamento no cartão. Vale dizer que eles dão descontos caso você tenha passagem marcada com algumas companhias aéreas, o que foi o caso da TAP.

O atendimento no laboratório CR Diagnósticos foi muito bom e eu recomendo para quem vai sair de São Paulo. Eles também possuem um endereço em Brasília. A única parte negativa, mas isso não tem escapatória, foi o incômodo do teste do nariz (eles coletam as duas amostras, da garganta e do nariz).

Restrições devido à Covid no Brasil e adaptação

Chegando no Brasil, não é necessário fazer quarentena tendo partido da Alemanha. Eles apenas recomendam o isolamento se tiver chegado de alguns países como Índia, Reino Unido e África do Sul (ainda assim não sei o quanto isso é controlado, acredito que não fazem nenhum tipo de controle). Eu optei por fazer um isolamento de uns 3 dias e fiz um teste rápido que pode ser comprado em farmácia e o laboratório retira a coleta do seu local de estadia. Além disso, também levei uns testes aqui de Berlim que fazia de dois em dias, apenas para me tranquilizar.

Foi bem estranho me acostumar a sair de máscara e utilizá-la mesmo ao ar livre. Para você que está lendo e não mora na Alemanha, aqui no país nunca tivemos obrigação de usar máscara do lado de fora, apenas em ruas muito movimentadas. E foram muitas as vezes que colocando o pé pra fora, eu tive que voltar para colocar a máscara. Ainda que não haja nenhuma multa ou pena a cumprir, devemos respeitar o momento e as pessoas ao nosso redor.

Fora isso, foi bem estranho ver as ruas tão lotadas e muitos lugares funcionando normalmente, considerando os números ainda tão altos (em junho estavam morrendo de 1500 a 2000 pessoas por dia no Brasil). Em particular, minha família e meus amigos mais próximos estavam todos se cuidando e encontrei com eles apenas em casa e em locais abertos, nada de aglomerações. E isso foi um desafio, porque quando a gente vai pro Brasil quer mesmo é festar, não é? Mas dessa vez não deu, guardei as energias para uma próxima visita.

Formulários e quarentena de volta à Alemanha

Além do teste, o que mais é necessário para entrar no Brasil? Além de checar o PCR na imigração, é necessário preencher esse formulário da Anvisa para registrar que você não veio de nenhum dos países de risco. Como mencionei, não houve nenhum controle ou perguntas sobre um possível isolamento que eu deveria fazer no Brasil. No voo entre Berlim e Lisboa, também foi solicitado que preenchesse um formulário, mas como perguntava onde eu ficaria em Lisboa, acho que não fez muito sentido preencher e no final nem me pediram. No retorno do Brasil, preenchi novamente durante o voo informando que meu destino final era Berlim e eles coletaram os papéis.

No retorno para a Alemanha é obrigatório preencher o formulário Enreiseanmeldung, que tem também versão em inglês, e ter em mãos seu Anmeldung. Até levei como garantia uma conta de luz em meu nome, além de ter no passaporte italiano a moradia como sendo Berlim. Quanto mais documentos em mãos, melhor, principalmente se você tiver um visto de estudante ou algo mais temporário. Não me fizeram muitas perguntas na imigração do aeroporto de Berlim, mas pode acontecer de você ser o escolhido(a) do momento. É necessário mostrar também a confirmação de envio do formulário mencionado, mas não precisa imprimí-lo, apenas no celular já vale.

E, para finalizar, sim eu fiz a quarentena de duas semanas ao chegar em Berlim. E ela é mandatória, não tem como escapar, fazer teste, tomar vacina, nada, a quarentena deve ser feita por todos que retornam das chamadas zonas com variantes do vírus. Durante esse período recebi um e-mail do órgão de saúde Gesundheitsamt em Mitte (bairro onde moro) confirmando que tinham recebido meu registro e com detalhes sobre a quarentena. Não sei bem como eles controlam isso, acredito que muita gente deve “furar” e dar uma saidinha, mas arriscar é ter que arcar com as consequências e uma possível multa de 25 mil euros, que não é bem um trocado qualquer que você vai querer desembolsar, certo?

Links úteis:

Informações do Ministério da Saúde na Alemanha (em alemão)

Informações resumidas do Ministério da Saúde na Alemanha (em português)

Lista das zonas de risco (em alemão)

Informações Representações da República Federal da Alemanha no Brasil

CovPass: o certificado de vacinação digital da UE
Os 10 melhores mercadinhos internacionais de Munique
Clarissa Gaiarsa
Clarissa Gaiarsa
Autor
Soteropolitana e brasileira de nascimento, e italiana no passaporte, sou jornalista, tradutora e produtora de conteúdo, apaixonada por música, línguas e viajar. Já vivi em 5 países: Brasil, Espanha, Estados Unidos, Grécia e atualmente na Alemanha. Adoro compartilhar experiências e ajudar os iniciantes na arte de morar fora do nosso país.

Comentários