Meus favoritos ( 0 )

Publicidade

Braunschweig - Die Löwenstadt
Destinos

Braunschweig - Die Löwenstadt

Celso Celso Fernandes
15 de janeiro de 2008
4

Die Löwenstadt ou a a Cidade do Leão, assim foi batizada a cidade Braunschweig por seu fundador Henrique o Leão. Localizada no coração da região de Niedersachsen (Baixa Saxônia) e as margens do Rio Oker, é destino de estudantes e pesquisadores do mundo inteiro. Esta postagem é intencionada a todos que, por fins variados, tenham interesse em conhecer melhor a cidade de Brauschweig. Venham comigo conhecer o passado desta cidade e apreciar os resquícios deixados pela tradição de outrora.

Estatísticas

Área: 192,13 km²

Altitude: 75 m

Densidade populacional: 1.276,60 hab./km²

População: 240 mil habitantes

Códigos telefônicos: 0531, 05307, 05309

Coordenadas: 52º 16' 9" N , 10º 31' 16" O

Setores: alimentício, automobilístico, metal, estamparia e maquinaria

História

Uma Misteriosa lenda foi o que restou das origens de Braunschweig. A cidade surgiu, provavelmente, como área de descanso e armazém de mercadorias para comerciantes há mais de 1000 anos atrás, pois a região está localizada na interseção de várias rotas comerciais importantes. A partir de Braunschweig, o Rio Oker torna-se navegável e permite alcançar Bremen e daí o mar através de conexões com o Aller e o Wesser. Esta posição geográfica estratégica deve ter sido o motivo pelo qual o Duque Henrique O Leão escolheu Braunschweig como seu local de residência no meio do século 12 e com isso Braunschweig tornou-se uma importante e desenvolvida cidade medieval. Como prova disso, estão as catedrais, palácios e castelos que servem de cartão postal da cidade.

Braunschweig medieval 

A estrutura de Braunschweig medieval era única. A cidade era constituída, na verdade, de cinco pequenos distritos: Altstadt, Hagen, Altewiek, Neustadt and Sack. Cada distrito tinha sua própria prefeitura, feira, paróquia e constituição. Sob a liderança dos comerciante da Altstadt, floresceu o comércio e a troca de mercadorias nos séculos 13 e 14 com boas relações comerciais que iam até a Inglaterra, Russia e Escandinávia. Este período de prosperidade, portanto, chegou a um fim no final do século 17, pois em 1671 a casa dos Welf (que até então residia em Wolfenbüttel), mudou-se para Braunschweig e passou a reinar a região de forma absolutista e contrária ao avanço de idéias liberais e progressistas.

Braunschweig Renascentista e Moderna

O regime absolutista deu lugar, depois de muitos anos, a uma nova tendência que favoreceu o desenvolvimento econômico e resultou na criação de instituições como o Norddeutsche Landesbank (1765) e o Collegium Carolinum (1745) que viria a ser a atual Technische Universität. Surgiram também neste período o Museu de História Natural (Staatliche Naturhistorische Museum), assim como o Duke Anton Ulrich Museum (Herzog Anton Ulrich-Museum) que exibe obras de Cranach, Hollbein, Van Dyck, Reubens, Rembrandt, Vermeer van Delft e outros. Teatro e música também tiveram um papel importante em Braunschweig durante o iluminismo. As primeiras tragédias escritas em alemão ( " Emilia Galotti"(1772) de Lessing e "Faust I." (1829) de Goethe) foram estreadas aqui.

Da inteligência e o esmero dos comerciantes de outrora brotou uma incrível habilidade técnica que favoreceu a industrialização local. Os frutos deste avanço técnico são reconhecidos até os dias de hoje através dos carros da VW, pianos Schimmel, e câmeras Rollei.  

As Guerras Mundias

Mais de 15,000 homens da região de Braunschweig perderam suas vidas durante a Primeira Guerra Mundial.

Após o fim da guerra, Braunschweig tornou-se um centro de relativa instabilidade política e a Revolução de 1918 resultou numa forte polarização entre a classe trabalhadora e a classe média. Este cenário favoreceu o progresso do partido Nazista que gozou de relativa força na cidade e agiu com grande violência contra todos os seus opositores. Na Segunda Guerra Mundial milhares de judeus, ciganos, testemunhas de jeová e homossexuais perderam suas vidas nos campos de concentração criados nas vizinhanças da cidade. Com o eventual avanço das tropas aliadas sobre território alemão, milhares de edifícios foras destruídos nos bombardeios aéreos e em 1944, cerca de 85% da cidade havia sido destruída.

Braunschweig atualmente

Após o final da Segunda Guerra Mundial, começou o processo de reconstrução da cidade que ainda ocorre hoje. A cidade acabou se transformando num centro de ciência com a vinda de diversos institutos científicos para a região. Após a reunificação da Alemanha em 1989, Braunschweig voltou a ser o centro do país e hoje é uma cidade ideal para morar e visitar.

Dia-a-dia

Viver em Braunschweig é bem tranquilo. A cidade está repleta de parques, belas e largas avenidas e a cidade dispõe de praticamente tudo que um ser humano normal possa precisar: boates, cinemas, bons restaurantes, lojas variadas, museus, teatro e excelentes opções de transporte para dentro e fora da cidade.

 Apesar desta gama de opções, acho a cidade um pouco parada em relação a minha cidade de origem (Rio de Janeiro). Para ficar bem aqui, é bom você ter sempre uma atividade, algo para manter a sua mente e o seu corpo ocupado, pois ao contrário, poderá ficar facilmente entediado(a). As ruas costumas ficar vazias relativamente cedo (especialmente no outono e inverno) e nos meses mais frios pode ser que você fique semanas sem ver o azul do céu. Isto não é necessariamente ruim, porém é algo que deve ser sabido por todos que desejam rumar para estas bandas. Aos sábados, principalmente os de sol, o centro da cidade fervilha com gente que vem de vários outras cidades menores e vizinhas. Nesta ocasião é possível ver todo tipo de artistas de rua exibindo suas artes nas alamedas e calçadas do Altstadt.

Como chegar

Se você estiver vindo do Brasil, provavelmente vai chegar a Braunschweig vindo de Hannover (70 KM), Berlin (240 KM) ou Frankfurt (340 KM). Dessas três opções, eu ficaria com Hannover, pois fica mais próximo e depois de passar horas num vôo até a Europa, bom mesmo é poder chegar o mais rápido possível ao destino. Além do mais, de Hannover partem trens diretamente do aeroporto e após uma breve baldiação na estação principal de Hannover, você atinge a estação principal de Braunschweig em um pouco mais de uma hora a um custo de aproximadamente 13 €. Planeje sua rota antes para não ter surpresas nos preços de passagens. Fique ligado(a) que existem dois tipos de trens, o IC e o ICE, sendo o ICE expresso e portanto quase duas vezes mais caro!

Eu escrevi mais a respeito no post de transporte. Eu mesmo não cheguei por Hannover, e sim por Berlin, e na época meu destino final não era Braunschweig, porém a rota que peguei passava por aqui e sei que existe trem quase que de hora em hora para a Estação de Braunschweig. Nunca estive em Frankfurt, portanto fica difícil opinar sobre esta rota, porém acredito que não deva oferecer grandes dificuldades, uma vez que a Alemanha inteira está muito bem conectada e há sempre boas possibilidades de transportes de uma região para a outra. Melhor do que ficar na dúvida, é você mesmo tirar a prova dos nove. No site da Deutsche Bahn, é possível pesquisar os horários dos trens entre as cidades da Alemanha e da Europa. Para aprender mais sobre os diferentes tipos de trem e transportes que existem por aqui, basta fazer uma visita ao meu post relacionado a transportes.

Boa viagem!

Guia de cozinha na Alemanha: Fornos, fogões e exaustores
Transporte na Alemanha
Celso Fernandes
Celso Fernandes
Autor
Engenheiro, empreendedor e programador de fim de semana.  Natural de Petrópolis, RJ. Trinta e poucos anos de idade e há dez anos vivendo na Alemanha. Escreveu o primeiro post no Batatolandia em 2008 e desde então não parou mais.

Comentários

Cadastro