Aprender Alemão Aprender alemao

Publicado em 5 de setembro de 2014 | por Celso Luiz F. Fernandes

1

Como aprender qualquer idioma

Semana passada eu recebi um comentário interessante de um dos leitores do site que queria mais informações sobre como estudar Alemão.

Já há algum tempo que eu venho querendo fazer mais contribuições para o pessoal que está querendo aprender Alemão, porém sempre acabo deixando para depois. A verdade é que a maioria dos leitores parece ainda estar no que eu denomino de “passo zero” da vinda para a Alemanha. Ou seja, muitos ainda estão contemplando a possibilidade de vir morar ou estudar aqui e aprender alemão é uma coisa que acaba acontecendo apenas no passo 1 ou passo 2.

Mas, atendendo o pedido (mais do que justo) do Romulo, aí vai a estória de como eu aprendi alemão passo-a-passo. Primeiramente vamos dar uma olhada no comentário:

Olá, boa tarde.

Estou na Alemanha para um curso intensivo de 6 meses no IIK (Düsseldorf). Estudei alemão como auto-didata no Brasil por quase 2 anos. Confesso que quando você chega aqui é um susto… não que você não saiba, mas não tem familiaridade com o que já estudou. A gente chega só sabendo as construções prontinhas.

Minha sugestão é para que nos futuros posts sobre o assunto seja dado mais ênfase na sua experiência do aprendizado do alemão, ao invés de tentar ensinar o idioma, até porque material para estudo não falta.

É muito confortante alguém que está passando pela experiência de aprender o alemão ouvir o relato de quem conseguiu ser bem sucedido na empreitada, e que erros ou vícios evitar.

Tchüss und bis bald.

Romulo Soares

Introdução

Antes de mais nada, eu preciso dizer que aprendi alemão como quarto idioma. Ou seja, quando comecei a minha caminhada no idioma Germânico, eu já falava português, espanhol e inglês fluentemente. Quando eu digo fluentemente, não quero dizer fluentemente como 90% dos Brasileiros fluentemente, mas realmente fluente. Antes de ir para a Alemanha eu já havia morado nos EUA e na América Central por vários anos e estudado em colégios Americanos. Lembro que cheguei nos EUA com 9 anos sem falar uma palavra de inglês e tive que me adaptar rápido. Eu acabei aprendendo o idioma em um pouco menos de 7 meses.

Com o espanhol foi um processo semelhante. Durante todos os meus anos nos EUA eu tinha uma babá Chilena, que falava espanhol comigo o tempo todo e mais tarde acabei me mudando para a Costa Rica aonde permaneci 2 anos falando espanhol 50% do tempo.  O motivo pelo qual estou contando isso você verá depois.

A verdade é que aprender um idioma estrangeiro não é nada fácil, especialmente se já estamos na fase adulta. Como veremos a seguir, a mente infantil está muito mais apta a aprender do que a mente adulta e a forma como aprendemos um idioma difere com o passar dos anos. Neste post, eu irei tentar resgatar as memórias de como eu aprendi 2 idiomas estrangeiros enquanto criança e dividir estas memórias em categorias ou pequenas regras que poderão ser usadas para o aprendizado de QUALQUER idioma. Ao longo do post, veremos que aspectos sociais e culturais tem uma grande participação durante o processo de aprendizado e você verá porque terminar um curso de idioma é apenas 30% do caminho.

Como a mente aprende um idioma estrangeiro

Antes de você começar a aprender alemão ou qualquer outro idioma, você precisa descobrir como sua mente irá fazer isso. Já se perguntou por que crianças aprendem idiomas muito mais rápido que adultos? Já reparou que quando se aprende um idioma na infância, a tendência é você falar este idioma com muito mais fluência e quase livre de sotaques?

O principal motivo disso, é que crianças aprendem por repetição ou imitação, enquanto adultos aprendem por associação. Pesquisas mostram que até os 12 anos de idade, o aprendizado de um idioma estrangeiro é processado na sua mente através da repetição. Já quem aprende um idioma estrangeiro após os 12 anos de idade, irá fazê-lo por associação com os conhecimentos que já possui na sua língua nativa.

O resultado disso, é visível em estrangeiro adulto tentando se virar num idioma que não é o dele. Muitas vezes, nós erramos o gênero, a conjugação, a pronúncia e o que é pior de tudo: falamos o idioma estrangeiro da forma que falamos o nosso próprio idioma e isso nem sempre funciona devido as questões culturais que iremos ver em seguida.

Na introdução, eu contei para vocês toda a história da minha vida justamente para poder desaguar aqui. Como disse, eu aprendi o espanhol e o inglês de forma repetitiva ou imitativa, pois fui muito novo para os EUA. Na realidade, ao retornar para o Brasil em 1998, tive que voltar uma série na escola, devido ao meu pouco conhecimento de português. Eu lembro que no início, eu tinha que literalmente fixar a visão na boca do professor para poder entender o que ele estava falando. Se eu desviasse a atenção para qualquer outra coisa, já perdia o “fio da meada”.

O alemão e o mandarim (que estou aprendendo atualmente), infelizmente aprendi após os 25 anos de idade, o que me põe na categoria de adulto. Inconscientemente, eu tento aprender estes idiomas de forma associativa. Isto me condena a nunca mais na vida conseguir atingir 100% de nativismo em nenhum destes dois idiomas.

Mas devido ao fato de eu já ter aprendido 2 idiomas enquanto criança, eu posso tentar resgatar algumas das memórias que possuo desta época e reaplicar estes conceitos no meu aprendizado de novos idiomas na fase adulta.

Os primeiros 24 meses: fase crucial

Se você é adulto como eu e está buscando aprender um idioma estrangeiro, então preste atenção na seguinte regra. Ao aprender qualquer idioma, seja ele qual for, queria aprender o máximo possível nos primeiros 24 meses. O motivo pelo qual estou afirmando isso, é porque pesquisas já mostraram que adultos costumam nivelar o seu conhecimento de um idioma estrangeiro após 2 anos. Ou seja, nos primeiros 24 meses de aprendizado nós assimilamos bastante, porém após atingirmos uma certa competência no idioma, tendemos a nivelar neste ponto e não progredir mais.

Para mim isto é muita verdade. O alemão que eu falo hoje, por exemplo, não é muito melhor do que eu falava em 2010 (2 anos após chegar na Alemanha e 3,5 anos após iniciar o meu estudo do idioma). Mas o meu alemão em 2010 era infinitamente melhor do que o meu alemão em 2007, quando cheguei na Alemanha.

Eu recomendo, então, que vocês adquiram o máximo de vocabulário possível nestes primeiros 24 meses. Leiam bastante e se possível pratiquem ao máximo.

Montando uma base forte

Eu gostaria de poder dizer para você, que existe uma receita mágica para fazer você aprender qualquer idioma em 3 meses. Aliás, tem muito curso que promete isso. Infelizmente isto é impossível, pois dominar um idioma, de verdade, requer que você domine também outros fatores que certamente levarão muito mais do que 3 meses para serem assimilados.

Base gramatical

Eu recomendo que vocês comecem montando uma base gramatical forte. Se você já frequenta um curso de línguas, então preste bastante atenção na parte gramatical. Na minha opinião, não é necessário ser um guru da gramática, mas você precisa ter a sua base montada. Se você montar esta base de forma certa, ela irá permitir que você continue aprendendo mesmo que não frequente mais um curso.

Imagine que você deseja movimentar-se por uma cidade. Toda cidade possui avenidas principais que apontam do norte para o sul e do leste para o oeste. Existe, também, inúmeras vielas e ruas menores que desembocam nestas grandes avenidas. Para se deslocar com segurança por esta cidade, basta conhecer bem as principais avenidas. Você precisa saber quais levam ao norte, quais ao sul e quais irão te guiar do leste para o oeste. Tudo mais, irá começar ou terminar nestas artérias maiores.

Assim como as cidades, os idiomas também possuem grandes avenidas que servem de espinha dorsal para todo o idioma. Se você domina, ou pelo menos entende, as regras desta base, terá condições de explorar por onde quiser e até conhecer novas vias. Tudo isso porque estas vias menores não são nada mais do que derivações de casos mais abrangentes.

Vocabulário

Se a base gramatical é uma avenida, então o vocabulário é o veículo. Quanto maior o seu vocabulário, então mais confortável será a sua passagem.

É impossível sair aprendendo milhares de palavras ao mesmo tempo, mas você certamente pode e vai acelerar o processo se fizer um plano. Tente planejar uma meta de vocabulários por dia. Quando eu cheguei na escola nos EUA, todos os dias ía a aula de inglês oferecida pela própria escola. Lá, nós aprendíamos uma lição e no final de cada lição tinha um lista de 30 palavras a serem aprendidas. A professora, então, pedia para cada um, no seu próprio idioma natal, achar a tradução no dicionário e escrevê-la no papel. Após escrever a tradução uma vez, tínhamos que escrever a palavra em inglês 3 vezes.

Apenas visualizar a palavra não é o suficiente. Você precisa visualizar, ler e escrever para guardar de verdade. Para as coisas não ficarem muito chatas, você pode dividir o seu vocabulário em temas e dar ênfase ao tema que for mais importante para você. Por exemplo, você pode estabelecer que segunda é dia de vocabulário de comidas, terça é dia de aprender nome de animais, quarta pode ser dia das partes do corpo e assim por adiante. Comece com termos muito abrangentes e a medida que for aprendendo foque mais em cada tema. Você pode começar aprendendo a falar cabeça, pernas, mão e braço. Depois que dominar isso, então comece a aprender cabelo, cotovelo, unhas, dedos e canela.

Desta forma, você irar mergulhar no idioma de forma uniforme. Caso seja confrontado(a) com a situação de ter que falar, você pelo menos pode dar a pessoa uma boa noção do que deseja expressar. Pode não ser tão preciso como gostaria, mas pelo menos você vai na direção certa. Como as avenidas!

Outra excelente forma de aprender vocabulário é através da leitura. Procure livros sobre assuntos interessantes. Existe também muitas revistas que são especiais para pessoas que estão aprendendo um determinado idioma. Eu sempre li muito e a leitura foi essencial para acelerar o meu aprendizado do inglês. Na escola, tínhamos um concurso de quem lia mais páginas em um ano letivo. Eu fechei a minha quinta série tendo lido 40 livros num total de exatas 7.917 páginas. Isto foi 1 ano após a minha chegada nos EUA sem falar uma palavra de inglês. Em 1994, 3 anos depois, eu fiz uma prova chamada SAT e pontuei acima de 98.5% dos outros candidatos. Todos Americanos.  Certamente isto não teria acontecido se não fosse pela leitura.

O componente cultural de aprender um idioma

Este é um dos pontos mais importantes, na minha opinião. Estar por dentro da cultura (e muitas vezes até da história) do país de onde pretende viver é essencial. Este é também outro fator pelo qual as crianças aprendem muito mais rápido que os pais.

Uma criança que se muda para um país estrangeiro fará dezenas de perguntas a mais que os pais. Irá frequentar um colégio e aprender tudo sobre a história, os estudos sociais e os costumes do país aonde se encontra. Além do mais, crianças irão interagir com dezenas de outras crianças ou adolescentes, estando constantemente por dentro das últimas gírias ou fofocas locais. Crianças são mais desinibidas e penetram mais facilmente círculos sociais.

Para o adulto, tudo isso é bem mais complicado. Muitas vezes precisamos nos concentrar em outras coisas como trabalho, responsabilidade, pagar as contas, etc. Muitas vezes, quando estamos num país estrangeiro, temos receio de tentar penetrar o grupo social local e acabamos permanecendo mais nas rodinhas de pessoas da mesma nacionalidade.

Como a maioria dos adultos  já terão frequentado a escola no seus países de origem, acabam perdendo a oportunidade de obter uma educação adequada sobre a história do país estrangeiro aonde vivem. Tudo isso, somado, resulta em catástrofe ao falar.

Eu perdi a conta de quantas vezes ouvi ou Brasileiro falando inglês (e até alemão) da forma como ele ou ela fala português. O oposto também acontece. Quando estou na China, muitos dos meus companheiros de trabalho se comunicam em inglês. É um show de irregularidades vendo os Alemães falando inglês como falam alemão e os chineses tentando traduzir para o inglês seus dizeres milenares.

Não adianta. Você não pode simplesmente traduzir o seu pensamento para o idioma estrangeiro. Muitos verbos ou termos que usamos no português, simplesmente não são usados da mesma forma nos outros idiomas. Você precisa fazer uma tradução não apenas linguística, mas cultural também.

A forma como a cultura influencia o idioma é simples e visível para todos. Os alemães, por exemplo, são extremamente precisos. Eles tem uma palavra para tudo. Saída de carro (Ausfahrt) não é a mesma coisa que saída de pedestre (Ausgang). Para cada situação, um verbo. Para cada coisa um termo.

Já os orientais (por exemplo os Chineses), são muito ligados ao passado e as tradições. Muitos dos dizeres, atitudes e gírias da China, remetem ao tempo das dinastias ou até a numerologia.

Seja qual for o idioma que deseja aprender, irás fazer para ti mesmo(a) um grande favor se aprenderes também a história e os últimos acontecimentos no país aonde pretendes viver.

Como eu disse, crianças fazem isso já meio que automaticamente, pois não possuem vergonha na cara e aprendem por imitação, mas nós adultos, precisamos realmente tirar um tempo extra para isso.

Aprenda a ouvir

Se você passou a vida inteira aprendendo um idioma no seu país de origem, então prepara-se para tomar um susto! Antes de sair do Brasil, eu me preparei ao máximo que pude e aprendi alemão por cerca de 18 meses. Quando cheguei na Alemanha, eu até sabia perguntar, mas difícil mesmo era entender a resposta. Incrivelmente isto também acontece nas primeiras horas ou dias quando retorno ao Brasil. Leva um tempinho para entrar no clima.

Não fique assustado(a) se ao chegar na Alemanha, você não conseguir entender nada ao seu redor mesmo que tenha feito curso de alemão antes. Isto é muito normal. Nossos ouvidos são como as cordas de um piano. Elas precisam ser ajustadas toda vez que passamos por uma mudança brusca de sons e tons. Isto leva tempo.

Use esta oportunidade para ouvir mais do que falar. Perceba como as pessoas pronunciam os sons. Repare nas expressões faciais. Alemães, por exemplo, adoram fazer biquinho todas vez que balançam a cabeça para dizer sim. Reparem. :-) Soa ridículo, mas são coisas que você também irá fazer com o passar do tempo. Tudo isso faz parte do processo de adaptação.

Um dos sinais que você está começando a dominar o idioma, é quando começa a captar diferenças regionais ou de sotaques. Antes, ouvir um Austríaco ou um Alemão falando, era tudo igual pra mim. Hoje se eu fechar os olhos e apenas ouvir os sotaques, eu posso te falar se a pessoa é da Suíça, Áustria ou Alemanha. Consigo te dizer também até de qual região da Alemanha ela é. No inglês, eu consigo te falar até a cor da pele da pessoa. Acredite ou não.

Perca a vergonha de falar

Aprender a gramática e assimilar a cultura de um país não é nada se você não utiliza este conhecimento. Aqui também, as crianças acabam saindo na frente, pois são mais desinibidas que os adultos. Infelizmente, nós estamos presos a pequenas regras e conceitos sociais que as crianças simplesmente não possuem.

Não tenha vergonha nem medo de falar. Comece falando errado mesmo. Não perca tempo tentando falar perfeitamente no inicio. Você não vai enganar ninguém. Todo mundo sabe que você é de fora. Então foque apenas na comunicação, faça amigos e o resto vem mais tarde. Tente entrar em contato com o máximo de nativos possível. Eles poderão te ajudar ou te corrigir, caso queira (e as vezes até quando não queira).

Toda vez que você tiver com medo de falar ou fazer uma pronuncia errada, lembre-se de mim! Eu estou estudando mandarim, amigos. No mandarim a pronúncia é tudo! Errar um tom pode ser a diferença entre dizer que eu quer te dar uma maça ou que eu gostaria de te dar o rabo! :-)

Sorria! E não seja tão severo(a) consigo mesmo(a). Tudo leva um tempo e otimismo é a chave. Evite ficar se comparando com os demais colegas de curso. Cada um aprende no seu próprio ritmo. Faça o seu planejamento e ignore os outros.

Hangout 5: Como eu aprendi alemão

Neste post, vocês leram as minhas dicas para aprender qualquer idioma. O assunto está generalizado, porém eu fiz hoje um hangout falando especialmente do alemão. O filme encontra-se em processo de edição e estará disponível aqui em breve. Aguardem!


Sobre o autor

é um brasileiro que foi morar na Alemanha em 2007. Numa manhã fria em Abril de 2008, ele estava entediado no sue apartamento aguardando uma decisão sobre seu visto de estudante. Sem ter muito o que fazer, ele resolveu iniciar um blog para escrever sobre os seus perrengues iniciais na Alemanha. O blog cresceu e virou BATATOLANDIA!



  • Laryssa Hott

    Oi, eu aprendi a falar inglês assistindo séries de TV legendadas e nunca tive aulas de verdade, mas eu sei falar e entendo muito mais do muitas pessoas que fizeram aulas por anos, vc pode me indicar alguns programas de TV legais alemães? Talvez eu possa aprender da mesma forma! Músicas seria uma boa tbm…

Voltar para o topo ↑